quarta-feira, 23 de abril de 2014

Lanzamiento en París del Observatorio Europeo de Alfabetización Mediática

informe_2.JPG
El proyecto EMEDUS presentará el Observatorio Europeo de Alfabetización Mediática  en el foro europeo que tendrá lugar el próximo mes de mayo (27 y 28) en París.
Este observatorio nace como continuidad del European Media Literacy Study (EMEDUS) y espera convertirse en el referente europeo en relación  a la alfabetización mediática, gracias  a su amplia base de datos y la red de miembros europeos que lo conformarán.
Esta propuesta fue lanzada en el segundo encuentro de expertos de EMEDUS (European Media Literacy Education Study), que se reunió en Roma los días 6 y 7 de marzo de este año en la sede de Eurispes, Instituto di Ricerca degli Italiani.
Entre los expertos que partiparon en dicha reunión se encuentran relevantes investigadores y profesionales del ámbito de la Alfabetización mediática en Europa, como Evelyne Bevort (CLEMI- Francia), Martina Chapman (Media literacy consultant, Reino Unido), Emelina Fernández Soriano (Consejo Audiovisual de Andalucía, España),  Vladimir Gai  (international consultant), Silke Grafe (Universidad de Würzburg, Alemania), Nathalie Labourdette (EBU Trainning), Mario Morcelini (Universidad Sapienza, Italia),  Claudia Lampert (Universidad de Hamburgo, Alemania), Chido Onumah (African Centre for Media & Information Literacy, Nigeria), Alberto Parola (Universidad de Turín, Italia), Matteo Zacchetti ("Media Programme and media literacy" Comisión Europea, Bélgica).  
Fonte: UAB http://www.gabinetecomunicacionyeducacion.com/noticias/lanzamiento-en-paris-del-observatorio-europeo-de-alfabetizacion-mediatica

Virtual Stages Against Violence - VSAV lança manual "Youth & New Media"


Virtual Stages Against Violence - VSAV is a project funded by the European Union through the Daphne III Programme with the aim to contribute to the protection of children, young people and women against all forms of violence and to attain a high level 
of health protection, well-being and social cohesion.
VSAV project has been a successful collaboration of five partner organisations from different EU countries (Italy, Germany, Austria, Romania).

The project is based on the idea that new technologies, nowadays the main carriers of information, are increasingly accessible to children and young people, but can often be understood as a source of risks (risk of encountering people with false identities, 
violent representations of reality, etc.), if they are not used properly. It therefore becomes necessary to avoid creating a negative impression of new technologies, and to show, instead, the positive potential they hold. The latter goal can be reached by spreading the correct use of technologies, and it is in this view that the new tools implemented in the VSAV project can become a useful and positive support in the life and growth of children, and in everyday life.

This manual brings together the several activities that have been carried out during 
the project. 

It is aimed at young people, parents, teachers, policy-makers, Ministries of Education 
in partner countries, school headmasters/headmistresses, local organisations.

VIRTUAL STAGES AGAINST VIOLENCE
The Main objectives of the project are:
1. Contributing to the reduction of media violence on children and young people.
2. Raising the awareness of children, young people and parents on the negative aspects 
of media. 

Specific objectives of the project are:
1. Clearly identifying habits and behaviours of target groups in using new technologies.
2. Identifying potential risks related to the target groups in order to develop measures 
to avoid them.
3. Creating educational activities and an interactive game designed to increase young people and children’s understanding of potentially negative impacts of media and new technologies, and offering them the possibility to learn how to avoid them.
4. Introducing children and young people to the role of creators of a play through the 
use of different media with potentially violent impacts.
5. Indicating the right use and best consumption of media.
6. Creating communication tools in order to reach a large number of final beneficiaries.

Target
Young people (10-16 years old) are the main target group of the project. They are at the same time actors and beneficiaries of the project. VSAV project helps young people to understand how to protect themselves from the risks of new technologies and to experience their positive potential.
Parents are an indirect key target group and by increasing their understanding of new media, they will be able to support and guide their children in using new technologies responsibly.
Educators are involved in an interactive and participative learning process with the support of the pedagogical experts that created a “Toolkit” with instructions and 
directions to develop and carry out educational activities in classrooms to fight against media violence. 

Las 21 competencias digitales para la Europa de los próximos años

digcom2

(...) existen una serie de competencias digitales básicas, que en mayor o menor medida,  se van a necesitar en el 90% de los trabajos que se creen en los próximos años.

Debido a la velocidad a la que evoluciona el mundo tecnológico y digital, no existe un listado cerrado de programas, plataformas o medios que debamos saber manejar, si no una serie de destrezas, habilidades y actitudes, desde las que enfrentarnos a los retos de las nuevas tecnologías en la Sociedad de la Información. A continuación os presentamos las 21 competencias digitales que necesitaremos en los próximos años.

Información
  • Búsqueda y filtrado de la información: Conocimientos operativos sobre cómo buscar y filtrar la ingente cantidad de información acumulada en la red.  Capacidad para recuperar y clasificar la información pertinente para cada situación o necesidad. Aprender a determinar la creación de sistemas o canales de información personal.
  • Evaluación de la información: Conocimientos para recolectar, procesar y comprender la información. Aprender a evaluar la información recuperada y diferenciar entre información de calidad e información de fuentes no fiables, o vacías de contenido.
  • Almacenamiento y recuperación de la información: Capacidad para estructurar y almacenar la información de manera que sea fácilmente localizable y accesible en el momento en el que sea necesaria.
Comunicación
  • Interactuar a través de dispositivos tecnológicos: Aprender a interactuar a través de dispositivos digitales y aplicaciones. Comprender cómo se distribuye, visualiza y gestiona la comunicación a través de los medios digitales. Conocer los diferentes formatos y las necesidades de adaptación de la propia comunicación a esos nuevos modelos y audiencias.
  • Intercambio de información y contenidos: Saber dónde y cómo compartir los conocimientos, contenidos y recursos como creador y como intermediario. Ser proactivo en la difusión de noticias teniendo en cuenta las reglas de referencia y citación de contenido de terceros.
  • Participación y compromiso ciudadano: Participara como ciudadanos activos y comprometidos a traves de las herramientas digitales. Buscar oportunidades de  desarrrollo personal y empoderamiento usando las tecnologías y entornos digitales. Ser conscientes del alcance y el potencial de las tecnologías para incidir en las administraciones y la sociedad.
  • Trabajo colaborativo a través de canales digitales: Usar las tecnologías y medios digitales para facilitar, portenciar y apoyat el trabajo  en equipo, aprovechando la eliminación de fronteras físicas. Favorecer los procesos colaborativos asó como la cooperación y cocreación de recursos, conocimientos y contenido.
  • Conocimientos de los protocolos sociales de los canales digitales: Conocer, tener en cuenta y usar los protocolos sociales y normas de comportamiento online. Ser conscientes y considerados con la diversidad cultural. Ser capaces de detectar y protegernos, a nosotros mismo y a terceros, de actitudes inapropiadas como el ciber acoso.
  • Gestión de la identidad digital: Aprender a crear, adaptar y gestionar nuestra presencia digital. Conocer las características y gestión de seguridad de los medios sociales para construir y proteger adecuadamente nuestra reputación online. vigilancia de los datos y contenido producito a través de nuestras diferentes cuentas y aplicaciones
Integración y reelaboración de contenido
  • Desarrollo de contenido: Crear contenidos en diferentes formatos, incluyendo formatos multimedia, para editar y mejorar los contenidos propios y de terceros, para comunicarlos de forma creativa.
  • Integración y reelaboración de contenido: Modificar, clarificar y agrupar recursos existentes creando conocimiento y contenido, nuevo, original y relevate.
  • Derechos y licencias: Aprender a aplicar los derechos y licencias relacionados con el uso de información y contenido, como derechos de la propiedad intelectual y protección de datos.
  • Configuración: Conocimientos básicos de como funcionan los programas y aplicaciones necesarias para la creación de diferentes tipos de contenido.
Seguridad
  • Protección de dispositivos: Conocer los riesgos y amenazas que pueden acarrear los contenidos on-line para proteger nuestros equipos.
  • Protección de datos personales: Comprender los términos de uso de los servicios, la protección de los datos personales, respeto hacia los derechos de intimidad de las personas.
  • Protección de la salud: Evitar riesgos relacionados con la salud física y el bienestar psicológico.
  • Protección del medio ambiente: Conciencia del impacto del uso de las TIC sobre el medio ambiente.
Resolución de problemas
  • Resolución de problemas técnicos: Identificar y resolver problemas con ayuda de los medios digitales.
  • Identificación de necesidades y respuestas tecnológicas:Evaluar las necesidades personales de recursos,  herramientas y competencias así como las herramientas disponibles para cubrir las mismas.
  • Innovación y creatividad en el uso de la tecnología: Innovar en tecnología, participar en colaboraciones digitales y producciones multimedia. Expresarse de forma creativa para crear conocimiento y resolver problemas conceptuales con el apoyo de herramientas digitales.
  • Identificación de carencias en competencias digitales: Ser consciente de las necesidades de formación y actualización de conocimientos, personales y de terceros en cuanto a competencias digitales.
Fonte: http://blog.guadalinfo.es/2014/03/28/las-21-competencias-digitales-para-la-europa-de-los-proximos-anos/

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Encontro Nacional de Jornais Escolares de Portugal acontece em Espinho, dia 3 de Maio

No próximo dia 3 de maio acontece em Espinho/ Portugal, no Auditório da Escola Básica e Secundária Dr. Manuel Laranjeirao Encontro Nacional de Jornais Escolares, voltado a professores de todos os ciclos de ensino.
O evento, que acontecerá de 9h30 às 17h30, é promovido pela Direção-Geral da Educação e pelo jornal Público e terá sessões sobre aspetos diversos da criação e dinamização de jornais em contexto escolar. 
PROGRAMAÇÃO
9h30 -– Receção dos participantes 
10h00 -– Abertura
 Secretário de Estado do Ensino Básico e Secundário, João Grancho 
 Diretora do Jornal Público, Bárbara Reis
10h15 - Troféus “Jornalismo escolar”
10h45 - Referencial de Educação para os Media 
Sara Pereira e Manuel Pinto, Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade, Universidade do Minho
11h15 - Pausa para Café 
11h30 -– O projeto “Público na Escola” 
Eduardo Madureira, diretor pedagógico do “Público na Escola”
11h45 - Jornais Escolares: apresentação da plataforma da DGE
José Vítor Pedroso, Direção-Geral da Educação. 
12h00 - Que passos importa dar para fazer um jornal escolar? 
Eduardo Madureira, projeto “Público na Escola” 
12h15 - Almoço 
14h30 - Como se redige uma notícia? 
Victor Ferreira, editor e coordenador do jornal Público no Porto
14h45 - Como fazer um título? 
Victor Ferreira, editor e coordenador do jornal Público no Porto 
15h00 -– Que cuidados importa ter com a língua portuguesa? 
Aurélio Moreira, copy desk. 
15h15 - Quais os cuidados gráficos a ter na produção de um jornal? 
José Soares, gráfico
15h30 - Produção e publicação digital de jornais escolares: que ferramentas? 
Teresa Pombo, Direção-Geral da Educação 
15h45 - Pausa para Café 
16h00 - Como financiar um jornal escolar? 
Eduardo Madureira, projeto “Público na Escola” 
16h15 - Para que serve a fotografia? 
Nelson Garrido, fotógrafo. 
16h30 - Lançamento do livro “A aventura de fazer o jornal escolar” de Carlos Carvalho da Costa. 
Apresentação de Teresa Pombo 
16h45 - Encerramento dos trabalhos. 
Fernando Egídio Reis, Diretor-Geral da DGE

Objetivos
  • Divulgar projetos jornalísticos que estão a ser dinamizados nas escolas portuguesas;
  • Partilhar experiências;
  • Aprofundar conhecimentos que permitam melhorar o trabalho que está a ser desenvolvido.

Como participar:
participação no Encontro é gratuita, mas está sujeita a inscrição. As inscrições encontram-se abertas até ao dia 25 de abril, devendo ser realizadas através deste formulário ! (http://questionarios.dge.mec.pt/index.php/114135/lang/pt)
A plataforma Jornais Escolares, lançada pela Direção-Geral da Educação em maio de 2013, está inserida na área da Educação para os Media e pretende não só apoiar a dinamização de jornais escolares como instrumentos de Cidadania, como fazer a divulgação de boas práticas na elaboração de jornais, revelando o trabalho realizado pelos docentes, nas escolas, com os seus alunos. 
Pretende ainda dotar os docentes e os alunos de conhecimento e ferramentas que os habilitem a fazer a edição digital dos seus jornais, dando origem a novos formatos ou, até, a novos projetos
Mais informações: jornaisescolares@dge.mec.pt

sábado, 12 de abril de 2014

CIMJ promove nos dias 10 e 11 de novembro V Seminário Internacional



Nos dias 10 e 11 de novembro de 2014 acontecerá o V Seminário Internacional do CIMJ*: Media, Democracia e Cidadania na Era Digital - na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH) da Universidade Nova de Lisboa. 


Os interessados podem apresentar propostas para comunicações, painéis temáticos e produções audiovisuais originais até ao dia 16 de Maio. 


Mais informações: http://www.cimj.org/seminariocimj2014/
*CIMJ - Centro de Investigação de Media e Jornalismo da Universidade Nova de Lisboa

Número 1, de 2014, da Revista Comunicação e Educação, da ECA/USP, já disponível para leitura

A edição de nº 1, Ano XIX, de Janeiro a Julho de 2014 da revista Comunicação & Educação, do Departamento de Comunicações e Artes (CCA) da ECA/USP, está publicada!

Para navegar pela revista basta acessar o link http://revistas.usp.br/comueduc/index É possível ter acesso aos artigos da edição que tem como tema "Comunicação & Educação, 20 anos: Trajetória para se consolidar a Educomunicação no Brasil. 


Entre os artigos nacionais está o que dá nome à revista, escrito pelo professor e pesquisador da USP, Odair Cittellli. Podemos citar ainda: 


Aspectos da inovação para televisão digital, de Alan César Belo Angeluci e Marília da Silva Franco;


Notas sobre os conceitos de comunidade, comunicação comunitária e dialogia, de Marcelo Ernandez Macedo, Livia Maria Abdalla Gonçalves

Representações visuais da mulher afrodescendente em livros didáticos, de Luciana Coutinho Pagliarini de Souza, Maria Ogécia Drigo


O cinema reinventando a escola – Um diálogo da Educomunicação com o filme A invenção de Hugo Cabret, de Claudia Mogadouro.

Coube ao professor espanhol Ignacio Aguaded  e Rocío Cruz-Díaz um dos artigos internacionais, sobre "O grau de competência em comunicação audiovisual entre os cidadãos da Andaluzia (Espanha)". 

Sobre a Revista Comunicação e Educação
A Revista Comunicação & Educação é uma publicação semestral (janeiro/junho; julho/dezembro) na área da comunicação e educação. Além disso, a Revista, hoje, é um dos principais veículos de estudo e pesquisa no campo da educomunicação.

quarta-feira, 9 de abril de 2014

Seminário Media Smart sobre Literacia para a Publicidade em Meio Digital em 7 de maio


Numa iniciativa da Direção-Geral da Educação (DGE) e da Associação Portuguesa de Anunciantes (APAN), no âmbito do Programa Media Smart, terá lugar, no dia 7 de maio, no Auditório da DGE, em Lisboa, o Seminário “Literacia para a Publicidade em Meio Digital".

Esse Seminário destina-se a Docentes dos 1.º e 2.º ciclos do Ensino Básico e Secundário e a Professores Bibliotecários. 
A participação é gratuita sujeita a inscrição através de um formulário que poderá encontrar no site da DGE.

Veja o programa: http://erte.dge.mec.pt/publico/mediasmart/Programa_Seminario_Media%20_Smart_7maio2014.pdf


segunda-feira, 31 de março de 2014

Alunos da UMinho promovem XVII Jornadas da Comunicação

Entre os dias 2 e 4 de abril os alunos de Comunicação da Universidade do Minho promoverão as XVII Jornadas da Comunicação, que terão lugar no Auditório Multimédia do Instituto de Educação.



O evento tem como tema Liberdade na Comunicação e é aberto a alunos e púbico em geral. A ideia é aliar a temática da comunicação às comemorações dos 40 anos do '25 de Abril', trazendo para debate importantes temas não só das três áreas do curso (Audiovisual, Multimédia, Jornalismo, Publicidade e Relações Públicas), mas também, este ano, das áreas do Cinema e da Música.

Programação:

2 de Abril 
09h00 - Acreditação 

09h30 - Sessão de Abertura 

10h15 – Coffee-break 

10h30 – Modelo de Negócio no Jornalismo 
Ana Melo (Universidade do Minho) 
Luís Teixeira (Rádio Geice) 
José Domingos (Jornal Alto Minho) 
Paulo Monteiro (Correio do Minho) 
Moderação: Luís António Santos 

12h30 – Almoço 

14h30 – O mundo do cinema e a liberdade 
Daniel Ribas (Instituto Politécnico de Bragança) 
César Nóbrega (Rádio Nova) 
Luís Ismael (Lightbox) 
Moderação: Martin Dale 

3 de Abril 
09h00 – Acreditação 

09h30 - Debate “Dificuldades Económicas vs Liberdade de Expressão”, 
orientado por Aníbal Alves (ICS, Universidade do Minho) 

11h00 – Coffee-break 

11h15 – Debate “A Educação e os Mass Média”, 
orientado por Carlos Gomes (IE, Universidade do Minho) 

12h30 – Almoço 

14h00 – Debate “A liberdade na Comunicação Desportiva” 
Joaquim Fidalgo (Universidade do Minho) 
Paulo Machado (Correio do Minho) 
Pedro Sousa (TVI) 
Moderação: Joaquim Fidalgo 

16h00 – Coffee-break 
16h15 – Publicidade: antes e depois de 1974 
José Redondo (Licor Beirão) 
Rui Amaral (Caetsu) 
Rui Costa (The Grand Union Portugal) 
Moderação: Mª José Cunha 

4 de Abril 
09h00 – Acreditação 

09h30 – Música: como é vivida a liberdade? 
Duarte Araújo (Meifumado) 
Nuno Abreu (Long Way to Alaska) 
Rui Torrinha (Centro Cultural Vila Flor) 
Moderação: Pedro Portela 

11h00 – Coffee-break 

11h15 - Atuação de Joana Jorge e Catarina Silva (alunas do 2º ano de Ciências da 
Comunicação) 

11h40 – Sessão de Encerramento

Obs: Os certificados de participação nas Jornadas têm o custo de 3€ para sócios do GACCUM, 5€ para não-sócios e 10€ para externos.  ​​No ato de pagamento do certificado, os participantes podem escolher se querem recebê-lo em papel ou por mail.
Informações: http://www.gaccum.com/ ou https://www.facebook.com/gaccuminho

quarta-feira, 26 de março de 2014

Entre 24 e 29 de março acontece a 25ª edição da Semana da Imprensa e Mídia do CLEMI


Acontece entre 24 e 29 de março a 25ª Semana da Imprensa e da Mídia na Escola do CLEMI (Centro de Ligação do Ensino e Meios de Informação), órgão ligado ao MInistério da Educação francês.

Cerca de 1.900 meios de comunicação participam dessa iniciativa em parceria com escolas de todo o país e escolas francesas espalhadas pelo mundo. E, para apoiá-los em suas atividades o CLEMI edita um dossiê pedagógico, com dicas de utilização crítica da mídia na sala de aula.

O tema deste ano sobre a informação e o tipo de mídia e suporte onde ela é divulgada que ajudar nas reflexões sobre como podemos divulgar uma notícia, de onde vêm as informações, de que contexto, etc

Para acessar a publicação: http://clemi.org/fichier/plug_download/
47572/download_fichier_fr_dossier_pedagogique_2014.pdf

Estudo mapeia alfabetização fílmica na Europa



O Programa de Media da Comissão Europeia lançou um estudo cujo objetivo é entregar um relatório mapeando as práticas correntes da cultura cinematográfica na Europa. O estudo inclui iniciativas em situações de ensino formal e informal, que abrange todas as faixas etárias.
Mais informação: http://ec.europa.eu/culture/media/media-literacy/studies_en.htm

Unesco lança a publicação World Trends in Freedom Of Expression and Media Development

Unesco lança a publicação World Trends in Freedom Of Expression and Media Development.

Executive Sumary:
Freedom of expression in general, and media development in particular, are core to UNESCO’s constitutional mandate to advance ‘the mutual knowledge and understanding of peoples, through all means of mass communication’ and promoting ‘the free flow of ideas by word and image.’ For UNESCO, press freedom is a corollary of the general right to freedom of expression. Since 1991, the year of the seminal Windhoek Declaration, which was endorsed by our Member States, UNESCO has understood press freedom as designating the conditions of media freedom, pluralism and independence, as well as the safety of journalists. It is within this framework that this report examines progress as regards press freedom, including in regard to gender equality, and makes sense of the 
evolution of media actors, news media institutions and journalistic roles over time. 

This report has been prepared as the basis of a summary report on the global state of press freedom and the safety of journalists, presented to the General Conference of UNESCO Member States in November 2013, on the mandate of the decision by Member States taken at the 36th session of the General Conference of the Organization.

The overarching global trend with respect to media freedom, pluralism, independence 
and the safety of journalists over the past several years is that of disruption and change 
brought on by technology, and to a lesser extent, the global financial crisis. These trends 
have impacted traditional economic and organizational structures in the news media, legal and regulatory frameworks, journalism practices, and media consumption and production habits. Technological convergence has expanded the number of and access to media platforms as well as the potential for expression. It has enabled the emergence of citizen journalism and spaces for independent media, while at the same time fundamentally reconfiguring journalistic practices and the business of news. 

The broad global patterns identified in this report are accompanied by extensive 
unevenness within the whole. The trends summarized above, therefore, go hand in hand 

with substantial variations between and within regions as well as countries. 

Para acessar o documento: http://unesdoc.unesco.org/images/0022/002270/227025e.pdf

A TV ainda é a preferida dos brasileiros

Mesmo com todo o avanço da internet e das redes sociais no país, a televisão ainda é o meio de comunicação mais utilizado para a busca de informações. É o que indica a pesquisa elaborada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom). O estudo, que contou com a consultoria de professores de oito universidades brasileiras e do Ibope Inteligência, aponta que 89% da população têm o hábito de se informar sobre o que acontece no Brasil pela televisão. O rádio aparece em segundo, com 30% das citações, seguido pela internet (29%), jornal impresso (8%) e revista impressa (1%).
Acesse aqui a pesquisa na íntegra
Não é à toa que o meio de comunicação preferido também é a TV (76,4%), seguido pela internet (13,1%), pelo rádio (7,9%), pelos jornais impressos (1,5%) e pelas revistas (0,3%) – outras respostas somam 0,8%. Entre os mais jovens, na faixa de 16 a 25 anos, a preferência pela TV cai a 70% e a citação à internet sobe a 25%, ficando o rádio com 4% e os demais com menções próximas de 0%.
Quando o assunto, no entanto, é confiança, as notícias dos jornais impressos são as que apresentam o maior nível de confiança entre os entrevistados: 53% dos que utilizam esse meio confiam sempre ou muitas vezes em suas notícias. O rádio e a TV aparecem na sequência, citados por 50% e 49% dos entrevistados, respectivamente.
Blogs apresentam o menor nível de confiança (22%). Em posição pouco melhor aparecem as redes sociais (24%) e os sites (28%). Os jornais também lideram na confiança em publicidade. Quase metade (47%) dos entrevistados que utilizam esse meio dizem confiar sempre ou muitas vezes nos anúncios. Novamente televisão e rádio empatam na segunda colocação, com 42% das citações.
Foram entrevistados 18.312 brasileiros, em 848 municípios, entre 12 de outubro e 6 de novembro de 2013. A margem de erro é de um ponto percentual para mais ou para menos sobre os resultados totais da amostra. (Fonte: RevistaPontoCom)

European Media Literacy Forum 2014 acontece em maio, em Paris



Nos dias 27 e 28 de maio, na sede da UNESCO, em Paris, acontece o European Media Literacy Forum 2014. 

Programação:
Dia 27
Cerimônia de abertura, às 11h às 12h30 - New world, New literacies
Sessão 1, de 14h30 às 16h - Formal Education: New Curriculum - Educational models and best practices concerning the implementation of ML in national curricula
Sessão 2, de 14h30 às 16h - MIL and Intercultural Dialogue - The role of Media and Information Literacy: towards a more realistic interchange of communication among cultures
Sessão 3, de 14h30 às 16h - Informal Education, Social Inclusion and ML
Sessão Plenária, de 16h30 às 18h - New action lines: EMEDUS Project´s recommendations

Dia 28
Sessão 4, de 9h às 10h30 - Regulatority Authorities and ML
Sessão 5, de 9h às 10h30 - Family, Media and ML
Sessão 6, de 9h às 10h30 - ML and Policy Implications
Sessão Plenária, de 14h30 às 15h45 - Global Alliance for Partnerships on Media and Information Literacy
Sessão 7, de 16h às 17h30 - Promoting Film Literacy
Sessão 8, de 16h às 17h30 - Research and Assessment on Media Literacy
Sessão 9, de 16h às 17h30 - Media Industry and ML
Conclusions and Closing Session, de 17h30h às 18h

Mais informações: http://www.europeanmedialiteracyforum.org/


Prêmio Hans Christian Andersen de ilustração é do Brasil


Além de ser o país homenageado na edição deste ano da Feira Internacional do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, na Itália, o Brasil está em alta. A mais antiga e prestigiada honraria da literatura infanto-juvenil mundial, o prêmio Hans Christian Andersen de ilustração, foi anunciada,no dia 24 de março, ao ilustrador e escritor Roger Mello. Concorrendo com outros 29 profissionais, Roger é reconhecido como autor de livros-imagem, cujas histórias são conduzidas apenas por ilustrações.

Roger é o primeiro ilustrador do país a ganhar essa premiação, uma das mais prestigiadas, já concedida anteriormente às escritoras Ana Maria Machado e Lygia Bojunga. Na categoria de escritor, quem venceu a disputa foi a japonesa Nahoko Uehashi. Ambos vão receber seus prêmios em setembro, no México, durante congresso do IBBY.

Em entrevista à revista Crescer, Roger disse que o prêmio é de todos os ilustradores brasileiros. “Espero que outros brasileiros concorram e ganhem. Mas é para nós todos. Nós, os ilustradores, somos uma família imensa. [Espero que os jovens ilustradores] continuem sendo criativos, incompletos, inconclusivos, abertos, que a pesquisa seja sempre feita e acho que o Brasil está fazendo isso. E não é de hoje isso, não é de agora. Santa Rosa, Aldemir Martins, Graça Lima, Mariana Massarani, Angela Lago, Fernando Vilela… A gente tem uma história de grandes ilustradores que pensam através do traço, através da narrativa visual. E para o ilustrador não existe diferença de idade; para o artista tem o incômodo, não estar nunca satisfeito, estar sempre em busca.
Sobre sua obra, que inclui Meninos do Mangue e João por um Fio, o júri afirmou que ela permite “explorar a história e a cultura do Brasil sem subestimar a habilidade da criança de reconhecer e decodificar fenômenos e imagens culturais”, permitindo que sejam “guiadas pela imaginação”.
Roger nasceu em 1965. Recebeu o prêmio suíço Espace-enfants em 2002 e no mesmo ano foi vencedor do prêmio Jabuti nas categorias literatura infanto-juvenil e ilustração comMeninos do mangue. Com vários trabalhos premiados, tornou-se hors-concours dos prêmios da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ). Por sua obra como ilustrador, foi indicado para a edição de 2010 do prêmio Hans Christian Andersen, considerado o Nobel da literatura infanto-juvenil.
Suas obras
 CARVOEIRINHOS (2009) – Autor | Ilustrador
 CONTRADANÇA (2011) – Ilustrador | Autor
 EM CIMA DA HORA (2004) – Autor | Ilustrador
 JOÃO POR UM FIO (2006) – Autor | Ilustrador
 MENINOS DO MANGUE (2001) – Autor | Ilustrador
 TODO CUIDADO É POUCO! (1999) – Ilustrador | Autor
 VIZINHO, VIZINHA (2002) – Capista | Autor | Ilustrador
 ZUBAIR E OS LABIRINTOS (2007) – Autor | Ilustrador
 O MEDO E O MAR (2009) – Ilustrador
 MEMÓRIAS DA ILHA (2003) – Ilustrador
Prêmios
 Prêmio FNLIJ 2001, categoria Melhor Ilustração (Hors-Concours). Livro:MENINOS DO MANGUE (2001).
 Prêmio FNLIJ – Prêmio Ofélia Fontes 2001, categoria Criança (Hors-Concours). Livro: MENINOS DO MANGUE (2001).
 Prêmio Espace Enfants 2002, categoria . Livro: MENINOS DO MANGUE(2001).
 Prêmio FNLIJ 2002, categoria Criança. Livro: VIZINHO, VIZINHA (2002).
 Prêmio Jabuti 2002, categoria Literatura Infanto-Juvenil. Livro: MENINOS DO MANGUE (2001).
 Prêmio Jabuti 2002, categoria Ilustração Infanto-Juvenil. Livro: MENINOS DO MANGUE (2001).
 Prêmio Jabuti 2003, categoria Ilustração Infantil ou Juvenil. Livro:VIZINHO, VIZINHA (2002).
 Prêmio FNLIJ 2005, categoria Melhor Ilustração (Hors-Concours). Livro:JOÃO POR UM FIO (2006).
 Prêmio FNLIJ 2005, categoria Criança (Hors-Concours). Livro: JOÃO POR UM FIO (2006). 
Fonte: RevistaPontoCom